sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Contando amigos

Não quero contar amigos na internet,
orkut, facebook, linkedins da vida.
Não preciso de seguidores virtuais,
de quantidade cibernética,
quero sim as qualidades reais.
Chega a ser uma questão de ética.
Como posso chamar amigo
aquele quase desconhecido?
Eu sigo o amigo que me liga
e não o que escreve e não liga pra mim.
Assim não preciso ficar sozinha
em frente ao computador,
acreditando que estou numa roda de bar.
Prezo muito minha solidão,
e quando uso o teclado é para isso.
Para me concentrar, trabalhar, escrever.
Nessas horas, não quero ninguém a se intrometer!
É tempo de ficar só.
O MSN desconcentra, atrapalha.
Para que falar tanta besteira nessa tralha?
Quando é pra compartilhar,
convivo ao vivo e a cores,
mostrando meus sorrisos,
expondo as dores,
entre goles de cerveja e cachaça.
Rindo e reclamando de nossos amores.
Quero sentir o cheiro das flores
e não receber esses mimos surreais
que nos mandam através de links.
Mais do que contar: “fiz mil amigos”,
quero comemorar, aí sim,
quando um amigo de verdade eu ganhar.
Eis um bom motivo para se vangloriar.

2 comentários:

carol sakurá disse...

Olá Mariana!

É sempre bom plantar e colher amigos.

Belo texto!

Obrigada por sua visita no Blog Le Poete en fleuer!

Abs!

Carol Sakurá

Anônimo disse...

Concordo plenamente...

sua espontaneidade me comove!!!


Abs